EducaPX SitePX AWS Contraste Aumentar/Diminuir a fonte

Videopoemas

 

A Videopoesia  é um gênero no qual linguagem audiovisual e verbal  se complementam

poeticamente. A obra é composta de imagens, sons e palavras  que interagem entre si para

dar sentido à criação artística.

O surgimento da videopoesia como gênero, com características próprias, remonta aos anos 20

do século passado, quando artistas como Man Ray e Marcel Duchamp iniciaram  experiências

com câmeras cinematográficas, realizando obras vanguardistas. Mais tarde surgiram  artistas 

como Luis Buñuel e Salvador Dali

Com a popularização das câmeras caseiras de vídeo de baixo custo, e posteriormente com o

surgimento das câmeras digitais, o uso dessa forma de expressão tornou-se simples e aumentou

muito.

Atualmente, as diferentes ferramentas  disponíveis para publicar e divulgar videopoemas

tornaram muito mais interessante essa  possibilidade de criação artística.

 

Videopoesia no Brasil

No Brasil, esse gênero se desenvolveu a partir das ideias modernistas da poesia concreta

propostas por: Décio Pignatari, Augusto de Campos e Haroldo de Campos, nos anos de

1950, influenciando grandes poetas como Ferreira Gullar, Cassiano RicardoPaulo

Leminski, entre outros.

Atualmente, o poeta, compositor e cantor Arnaldo Antunes é importante referência na

videopoesia. PessoaNome e O silêncio são exemplos de seu trabalho.

Em 2007, a Fliporto (Festa Literária Internacional de Porto de Galinhas)  promoveu  o

primeiro concurso brasileiro  de Poesia em Vídeo. Os vencedores foram:  Sônia Lessa que

ficou com o primeiro lugar pela  edição do poema Jogo Noturno, de Mauro Mota. O segundo

lugar ficou com Victor Salgado que trabalhou com o poema Ausencia de ti, de Arturo Sodoma.

Em terceiro lugar ficou Silvino Ferreira pela edição de seu poema Processador de Palavras.

 

Confira essa modalidade de poesia contemporânea!

Conheça o poema Afrô de Emerson Alcalde  que participou da 6ª Semana Literária da  EMEF

Presidente Epitácio Pessoa. 

Conheça videopoema produzido pelos alunos da EJA na EMEF Presidente Epitácio Pessoa:

As cocadas, produzido a partir do texto de Cora Coralina.

 

 voltar ao topo

 

left fsN normalcase center tsN fwB show|left fwR tsN hide|left fwR tsN center hide|bnull|||login news c05|fsN normalcase c05 tsN fwB bsd b10|b01 c05 bsd|login news fwR normalcase c05|tsN fwR c05 normalcase bsd b10|normalcase fwR c05|content-inner||